quarta-feira, 2 de abril de 2008

Também Tu, Bertie?



É hábito sermos confrontados com insinuações de corrupção por muito do que é notícia sobre a política nacional. Tendo em conta que desporto e política assumem, por vezes, uma conjectura similar na vida pública portuguesa, o efeito corrupção assume contornos bem mais vastos.

Foi para mim uma surpresa ouvir da demissão de Bertie Ahern, o primeiro-ministro irlandês, por alegado caso de corrupção já ocorrido nos anos 90. Na minha humilde ingenuidade, pensava que apenas os países latinos detinham exclusividade sobre estes actos. Interessante de tudo é reparar que, ao contrário deste país à beira-mar plantado, as acusações reservam uma consequência para os intervenientes.

Em Portugal, vozes de burro não chegam ao céu. De tal forma estamos habituados a acusações deste tipo, que a esmagadora maioria cai em saco roto. E quando não caem, foge-se ou arranja-se um qualquer asilo legal.

Não estou contente por saber de uma notícia destas acerca do país Esmeralda. Afinal de contas, desmistifica-se a seriedade de governantes que, ao contrário dos nossos, conseguiram fazer erguer um país e metê-lo na linha da frente em qualidade de vida e crescimento económico. Por outro lado, espero que a pena seja aplicada em conformidade. E que o Brasil não seja de fácil acesso para os corruptos irlandeses.

2 comentários:

Anónimo disse...

O Bertie andou 30 anos a trabalhar para melhorar para a Irlanda contribuindo decisivamente para o crescimento do pais e do processo de paz do Ulster. Pessoalmente perdoo-lhe qualquer deslize que tenha tido.

http://fomos.wordpress.com/2008/04/04/obrigado-bertie/

Abraco,
"Fomos"

Rui Henriques disse...

Sim, ja entendi que os irlandeses em geral estao-lhe muito agradecidos. Realmente, ha coisas que vale a pena perdoar.