terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Christmas Carols


Ontem acedi ao pedido feito pela directora de Recursos Humanos da minha empresa para tocar canções de Natal no próximo dia 17 de Dezembro. Um gesto nobre inserido numa acção de caridade, razão por que pensei "e porque não aceitar a proposta?". Disse que sim. Ela perguntou-me o que é que eu podia tocar; eu disse-lhe "guitarra portuguesa" e ela responde "fantástico" e eu reajo, para comigo "em que é que eu me fui meter..."

Primeiro problema: mais de metade das cançõezinhas de Natal que constam da lista são-me completamente desconhecidas. Aprendi muitas, é verdade, mas são em língua portuguesa. Vamos lá ver no que é que isto dá, principalmente sabendo que os tocadores de guitarra são poucos e eu não sei se eles percebem o suficiente para me dar alguma ajuda.

Segundo problema: eu disse-lhe que tocaria guitarra portuguesa. Eu estou a aprender guitarra portuguesa, não sou propriamente um expert nem consigo, pelo menos com a facilidade de uma viola ou de um bandolim, improvisar notas e acordes com à-vontade. Porque é que eu lhe propus tocar com a guitarra portuguesa?

Terceiro problema: chuva. É possível que chova. Eu não gosto de tocar à chuva. Que é que se pode dizer? Fico molhado! E, para mais, o que é pior, a guitarra pode ficar molhada! Tocar à chuva duas horas para pedir uns trocos é coisa que eu nem quero imaginar poder estar a fazer dentro de pouco mais de uma semana.

Às vezes pesamos os prós e os contras e decidimo-nos por algo. Mas desta vez nem pensei muito bem em contras. E voltar atrás na palavra seria muito mau. Por isso, a decisão está tomada. Mas ai de alguém que me falar no conforto da casa, na lareira acesa e nos pés descalços em cima dos chinelos apanhando com o bafo quente das chamas.

2 comentários:

Ringo disse...

Rui ! :) Obrigado !
E ... O Natal é onde? Tenho por aqui uma prenda p'ra lhe dar !! Veja lá se passa por terras Oureanas !
Bom de tudo p'ra ti, e estou a espera de uma chamada de numero irlandes para bater um aoe2 :)

Gd Abraço ;)

Silvia disse...

Ora aí está algo que eu gostava de ver!
Casa? Chinelos? Lareira? O que é isso? Nós cá por Coimbra, continuámos nas jantaradas e a beber até...de madrugada. Há coisas que não mudam! Boas guitarradas (portuguesas!)